Análise de qualidade de grãos de milho

Afonso Celso Candeira Valois, Geraldo Antonio Tosello, Maurício Dutra Zonotto, Gilberto Silber Schmidt

Resumo


Foram utilizadas seis populações de milho (Zea mays L), sendo duas de grãos do tipo dente opaco (uma braquítica), duas de grãos do tipo duro de autofecundação e duas de grãos do tipo duro de meios irmãos. Foram realizadas análises de laboratório, de variância genética e de correlação fenotípica do peso de quinze grãos, percentagem de embrião, de óleo, de proteína e de triptofano. As populações de grifos dentados opacos foram superiores quanto aos conteúdos de óleo, triptofano e valor protéico, enquanto que aquelas com grifos duros de autofecundação mostraram maiores percentagens de proteína, ao passo que as de grãos duros de meios irmãos acusaram maiores valores para o peso de grãos. O conteúdo de triptofano mostrou as maiores possibilidades de incremento através do melhoramento genético, enquanto que a percentagem de proteína apresentou a menor viabilidade. Foram detectadas correlações positivas do conteúdo de óleo com tamanho de embrião e com percentagem de triptofano; e correlação negativa entre peso de grãos e percentagem de proteína.


Palavras-chave


melhoramento genético de plantas; valor nutricional de grãos de milho; análise genética; correlação fenotípica

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461