Aplicação de nitrogênio e 2,4-D como regulador de crescimento em milho II. Nutrientes nas folhas e grãos

Paulo Regis Ferreira da Silva, Lauro Akio Okuyama

Resumo


Com o objetivo de estudar os efeitos da aplicação de nitrogênio e 2,4-D nos teores de nutrientes nas folhas e grãos, conduziu-se um experimento com a cultura do milho (Zea mays L.) na Estação Experimental Agronômica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no município de Guaíba, RS, no ano agrícola de 1981/82. Os tratamentos constaram de duas doses de nitrogênio (40 e 120 kg/ha de N) e quatro doses de 2,4-D (0, 80, 160 e 240 g e.a./ha). Os teores de N, P, K, Ca e Mg nas folhas foram determinados, onze dias após a aplicação de 2,4-D, e no período do espigamento, até 60 dias após, a cada doze dias. Com a aplicação de 2,4-D, evidenciou-se efeito significativo somente no teor de potássio, na amostragem realizada onze dias após a sua aplicação. Com 120 kg/ha de N, os teores de N nas folhas foram mais altos do que com 40 kg/ha de N, desde o espigamento até 60 dias após o espigamento. A dose mais alta de nitrogênio elevou os teores desse nutriente na folha. Além disso, aumentou o teor de fósforo da folha no período do espigamento até 60 dias após. As percentagens de nutrientes nos grãos não foram afetadas pelas aplicações de nitrogénio e 2,4-D.


Palavras-chave


Zea mays L.; teores de nitrogênio; fósforo; potássio; cálcio e magnésio

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461