Aplicação de nitrogênio no solo e pulverização foliar com ácido giberélico e uréia em Setaria anceps Stapf cv. Kazungula

Vanildo Favoretto, Pedro Antonio do Nascimento Zanetti, Ricardo Andrade Reis, Paulo de Figueiredo Vieira

Resumo


O objetivo do experimento foi verificar o efeito do nitrogénio no solo, parcelado de diferentes formas e aplicado durante o período de "verão", combinado com pulverização foliar de ureia e/ou ácido giberélico, sobre a produção e qualidade de Setaria anceps Stapf cv. Kazungula. O nitrogênio (60 kg/ha/ano) foi aplicado segundo quatro formas de parcelamento: Testemunha (sem nitrogênio), N20M40 (20 kg/ha de N em novembro + 40 kg/ha de N em março), N30M30 (30 kg/ha de N em novembro + 30 kg/ha de N em março), F20M40 (20 kg/ha de N em fevereiro + 40 kg/ha de N em março). No início do período de "inverno" foram aplicados os quatro tipos de pulverizações foliares: Testemunha (sem ácido giberélico ou uréia), uréia a 2%, ácido giberélico a 50 ppm e uréia a 2% + ácido giberélico a 50 ppm. Os resultados revelaram que o parcelamento do nitrogénio no solo não influiu no aumento da produção de matéria seca do capim setária no período de "verão", apesar de proporcionar um incremento da mesma no corte de "inverno". Observou-se, ainda, uma boa distribuição da produção de matéria seca entre "verão" e "inverno", apresentando essa última estação 34,52% da produção total anual, em média. Os diferentes tipos de pulverização não influíram significativamente sobre a produção de matéria seca e a composição química bromatológica da forrageira no período de "inverno".


Palavras-chave


matéria seca; gramínea; parcelamento de nitrogênio; aplicação foliar de uréia

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461