Efeito do cruzamentos sobre o crescimento de caprinos no Ceará

Antônio Amaury Orlá Fernandes, Francisco Hélio Ferreira Machado, João Monteiro de Sales Andrade, Elsio Antônio Pereira de Figueiredo, Maurice Shelton, Kant Prasad Pant

Resumo


Cruzaram-se, na Fazenda Iracema, da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Ceará - EPACE -, em Quixadá, CE, 420 cabras Sem Raça Definida (SRD) com reprodutores das raças e/ou tipos Nativos - Marota, Canindé, Moxotó, Repartida e SRD-e exóticas Anglo-Nubiana e Bhuj. Pesaram-se as crias ao nascer e a intervalos de 28 dias até 112 dias (desmama) e a cada dois meses, até 12 meses. O peso ao nascer, dos descendentes de raças exóticas, foi maior que o das raças nativas. Subsequentemente, os pesos foram idênticos em todos os grupos, refletindo efeito materno. Aos 12 meses, os descendentes de Anglo-Nubiana tenderam a ser mais pesados que os de Bhuj e SRD, e estes, que aqueles das raças nativas (22,09; 20,55 e 19 kg). Os descendentes das raças nativas foram levemente inferiores aos de SRD, mostrando que essas raças podem estar estreitamente relacionadas com o tipo SRD. Os machos foram mais pesados que as fêmeas, ao nascer (2,28 e 1,94 kg) e no período pós-desmama.  Os nascidos de partos simples foram mais pesados que os nascidos de partos gemelares, até seis meses de idade. O peso da mãe no parto influenciou o peso das crias no nascimento.

 


Palavras-chave


srd; marota; canindé; moxotó; repartida; anglo-nubiana; bhuj; meio-sangue; peso vivo

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461