Análise da frequência de chuva no pantanal Mato-Grossense

Eduardo Alfonso Cadavid García, Luís Hernán Rodríguez Castro

Resumo


Foram analisadas 81 séries de registros diários de chuva da Bacia do Alto Paraguai que compreende o Pantanal, obtidos do DNOS, visando à formação de conglomerados relativamente homogêneos. Dentro de cada conglomerado, e para a mais representativa série, estimaram-se as probabilidades de ocorrência de chuva nos períodos de trinta, quinze e sete dias. Na formação dos grupos foi utilizada a análise dos componentes principais e a análise de conglomerados (Método de Ward), ao passo que a ocorrência esperada de chuva foi dada pela distribuição gama incompleta f(X) = 1/ßαГ(α)) .xα-1 exp. (-x/ß); α, ß> 0, estimada pelo método dos momentos centrais. O teste de aderência foi de Kolmogorov-Smirnov. Principais resultados: definiram-se cinco conglomerados: o primeiro, de 20 estações, no nordeste da bacia, com chuvas intensas concentradas em novembro/março, e clima úmido mesotérmico; o segundo grupo, de 41 estações, é úmido seco megatérmico (Pantanal); o terceiro é subúmido mesotérmico; os outros grupos são de aparente transição. Os melhores ajustamentos da gama foram registrados nos períodos de 30 dias.


Palavras-chave


probabilidade de chuva; conglomerados

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461