Análise do custo energético de produção de cana-de-açúcar: lavoura mecanizada e não-mecanizada

Claudio M. Mundstock, Dogmar Farias Filho, Elsa C. Mundstock

Resumo


O custo energético da produção de cana-de-açúcar foi estimado para lavouras de produtores da região de Santo Antônio da Patrulha, RS, fornecedores de cana à usina da AGASA (Açúcar Gaúcho S.A.). Comparou-se a lavoura mecanizada com a lavoura não-mecanizada, a primeira em propriedades grandes, e a segunda, em minifúndios, na média de três cortes. A primeira utilizou 6.977,4 Mcal a mais na fase agrícola de produção (17.150,1 Mcal versus 10.172,1 Mcal) sendo o custo energético do combustível (principalmente) e das máquinas os responsáveis pela diferença. Os insumos (especialmente o adubo nitrogenado) tem grande peso no consumo de energia. A mão-de-obra, largamente utilizada era pequenas propriedades, aumenta o gasto de energia em pequena proporção.


Palavras-chave


propriedades grandes; minifúndio; combustível; insumos; consumos de energia

Texto completo:

PDF


Embrapa Sede
Parque Estação Biológica - PqEB - Av. W3 Norte (final) Caixa Postal 040315 - Brasília, DF - Brasil - 70770-901
Fone: +55 (61) 3448-2461