SEMENTEIA: ESPAÇO DE DIÁLOGO E ARTICULAÇÃO DE RESISTÊNCIAS NO CAMPO E NA CIDADE

Marcelo Vaz Pupo, Márcia Maria Tait Lima, Bruno Laserra Laserra de Souza, Kellen Maria Junqueira, Janaína Welle

Resumo


Os avanços nos conhecimentos relacionados à Agroecologia são insuficientemente comunicados para o conjunto da sociedade. Alguns fatos políticos contra-hegemônicos ligados à questão agroalimentar se efetivam a partir da produção de sentidos e interpretações gerados por circuitos alternativos de mídia. Assumindo a relação entre ética e política e a necessidade de pensar e agir na formulação de outras representações políticas no mundo contemporâneo, grupos e coletivos populares formularam a Plataforma Sementeia, buscando integrar tecnologias da informação, produção de conhecimento e resistência social. A proposta é divulgar conteúdo (principalmente audiovisual) de forma articulada e em rede, encorajando outros grupos populares a produzir seus próprios meios de comunicação e também a dispersá-los por meio da Sementeia. Pensando na autonomia produtiva destes grupos, trabalhou-se com o "processo crioulo de produção simbólica", coerente com os princípios de horizontalidade da Agroecologia e da Educação Popular na divulgação das identidades camponesas dos grupos parceiros. Compartilhou-se a prática desse processo por meio da Turma Luiz Beltrame do curso "Cinema, Juventude e Ruralidades", gerido pela parceria entre o Centro de Pesquisas e Estudos Agrários e Ambientais e o Coletivo Sementeia.


Palavras-chave


agroecologia; comunicação; educação; tecnologia da informação.

Texto completo:

PDF